ptzh-CNen

Embaixador chinês na ONU faz apresentação sobre conquistas chinesas na redução da pobreza

O representante permanente da China nas Nações Unidas, Zhang Jun, falou na terça-feira sobre as conquistas de seu país na redução da pobreza e compartilhou experiências com os Estados-membros e agências da ONU.

A pobreza zero é um sonho antigo da humanidade. É por isso que a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável fez do "Sem Pobreza" sua meta principal, disse Zhang em um briefing virtual.

"Como o maior país em desenvolvimento do mundo, a China tem trabalhado muito para erradicar a pobreza. Nos últimos oito anos, a China deu ainda mais importância à erradicação da pobreza", assinalou o enviado chinês, lembrando que em 25 de fevereiro o presidente chinês, Xi Jinping, anunciou que a China obteve uma "vitória total" em sua luta contra a pobreza.

Essa vitória promoveu o desenvolvimento econômico e social da China e abriu amplas perspectivas para realizar o desenvolvimento sustentável, melhorou os direitos humanos na China, encontrou um caminho viável para alcançar o desenvolvimento e a prosperidade para os países em desenvolvimento, e deu uma importante contribuição para o desenvolvimento global e impulsionou a implementação da Agenda 2030, disse ele.

Esta vitória não veio facilmente: ela se beneficiou da forte liderança do Partido Comunista da China, de uma abordagem centrada na população, da mobilização de toda a sociedade e de uma estratégia direcionada, segundo Zhang.

A China entrará em um novo estágio de desenvolvimento, disse o enviado.

"A China trabalhará com todas as partes para aprofundar a cooperação internacional na redução da pobreza e cooperação Sul-Sul. Continuaremos a dar forte apoio ao trabalho das Nações Unidas e do secretário-geral; a aproveitar plenamente o Fundo de Paz e Desenvolvimento China-ONU; a promover vigorosamente a redução da pobreza global e a implementação da Agenda 2030; a acelerar uma melhor recuperação da COVID-19; e a enfrentar ativamente os desafios da mudança climática", disse ele.

"A China, como uma força para a paz, uma força para o desenvolvimento, uma força para o progresso e uma força para a justiça, continuará dando contribuições ainda maiores para manter a paz mundial, promovendo o desenvolvimento comum e defendendo a equidade e a justiça."

Assistiram ao briefing cerca de 200 diplomatas, funcionários da ONU e representantes da mídia, incluindo cerca de 60 embaixadores.

 

 XINHUA PORTUGUÊS