ptzh-CNen

UE e EUA vão pôr em marcha novo diálogo bilateral sobre a China.

"Durante o encontro, [Borrell e Pompeo] lançaram um novo diálogo bilateral entre o Serviço Europeu de Ação Externa (SEAE) e o Departamento de Estado dos Estados Unidos da América (EUA) sobre a China", declaram Washington e Bruxelas, num comunicado conjunto.

Josep Borrell e Mike Pompeo "saudaram" o início do diálogo, no qual especialistas da união comunitária e dos EUA vão abordar "todo o tipo de questões relacionadas com a China".

Pompeo já tinha anunciado que na sexta-feira inauguraria com Borrell um mecanismo de diálogo para coordenar a resposta à China.

"Nesta sexta-feira, o Alto-Representante da UE, Josep Borrell e eu lançaremos o diálogo EU-EUA sobre a China. Estou certo de que a nossa discussão aprofundará o nosso compromisso com os nossos amigos da UE nesta importante questão", disse Mike Pompeo na quinta-feira.

"Os europeus também estão preocupados com o ambiente que vivemos, tal como nós", adiantou.

A declaração conjunta de Bruxelas e Washington, destaca também que Pompeo e Borrell concordam em "continuar as reuniões ao nível de altos funcionários e especialistas sobre todas as questões, incluindo direitos humanos, segurança e multilateralismo".

Além disso, é relatado que a próxima reunião de "alto nível" entre o subsecretário de Estado dos EUA, Stephen Biegun, e a secretária-geral do Serviço Europeu de Ação Externa, Helga Schmid, acontecerá "em meados de novembro".

Os dois responsáveis discutiram ainda, durante a chamada telefónica, a situação na Bielorrússia e apelam às autoridades daquele país para que "estabeleçam um diálogo significativo com representantes da sociedade civil, em particular com o Conselho de Coordenação estabelecido por Svetlana Tijanóvskaya".

"A UE e os Estados Unidos reiteraram o seu forte apoio à independência e soberania da Bielorrússia", acrescenta-se na declaração.

Paralelamente, os dois políticos analisaram o conflito em Nagorno Karabakh e exigiram "a cessação imediata das hostilidades e o respeito pelo cessar-fogo acordado".

"Eles exortaram as partes a retomarem negociações significativas sem demora sob os auspícios dos copresidentes do Grupo de Minsk da OSCE [Organização para a Segurança e Cooperação na Europa]", refere-se no comunicado, destacando o apelo dos dois responsáveis para que "todos os atores, incluindo partes externas, abster-se de tomar ações que possam aumentar os riscos para a região".

Este canal de diálogo foi anunciado em junho passado. Na altura, Borrell fez a proposta durante uma reunião entre os ministros dos Negócios Estrangeiros da UE e dos EUA e, posteriormente, Pompeo indicou que concordou em criar tal mecanismo.

Espera-se que este mecanismo permita criar um banco de dados que reúna as informações que a UE e os EUA têm sobre a China e, em seguida, coordenar as suas respostas.

 

Ler artigo em: Notícias ao Minuto