ptzh-CNen

Campanha anti-China dos EUA prejudica cooperação global contra COVID-19.

"A campanha de desinformação dos EUA contra a China, que usa a COVID-19 com interesses geopolíticos, tem dificultado os esforços conjuntos globais contra a pandemia e ameaçou destruir milhões de vidas", disse um importante cientista político armênio.

Os Estados Unidos lançaram essa campanha para desviar a atenção de suas falhas evidentes no combate à pandemia domesticamente, Benyamin Poghosyan, chefe do Centro de Estudos Estratégicos Políticos e Econômicos da Armênia, escreveu em um artigo de opinião publicado no sábado no jornal Voz da Armenia.

Poghosyan disse que tanto o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump quanto seu sucessor, o atual presidente Joe Biden, usaram o novo coronavírus para estimular sentimentos anti-chineses em todo o mundo, seja referindo-se abertamente à COVID-19 como "o vírus de Wuhan", seja promovendo a teoria da conspiração "vazamento de laboratório de Wuhan".

Os Estados Unidos, que estão profundamente preocupados com a ascensão da China e desejam conter o desenvolvimento do país por todos os meios possíveis, têm tentado mobilizar seus aliados na campanha de difamação, disse Poghosyan.

Esses esforços, embora inúteis, representam uma ameaça considerável para o mundo, pois prejudicam a cooperação internacional na luta contra a pandemia mortal, observou ele.

 Na verdade, as políticas dos EUA em relação à China estão dividindo o mundo e "contradizem diretamente as ideias de justiça e direitos humanos promovidas pelos próprios Estados Unidos", disse ele.

Como os programas de vacinação estão em pleno andamento em alguns países mais ricos, o mundo em desenvolvimento está lutando para reduzir as mortes pela COVID-19. É em momentos como este que as grandes potências devem se unir e apoiar os necessitados, enfatizou Poghosyan.

Observando que muitos países se recusaram a participar da propaganda anti-chinesa, ele exortou os países a tomarem cuidado para não atender aos caprichos geopolíticos dos EUA, mas agir de acordo com seus próprios interesses nacionais.

"Para combater a pandemia e prevenir milhões de novas vítimas nos países em desenvolvimento, é necessário que o governo dos Estados Unidos ponha fim à guerra de propaganda contra a China, abandone sua estratégia de usar a pandemia para interesses geopolíticos estreitos e se una com todos os países", indicou Poghosyan.

 

Xinhua