ptzh-CNen

Produção industrial da China desacelera em abril

O crescimento da produção nas fábricas da China desacelerou em abril e as vendas no varejo ficaram bem abaixo das expectativas, enquanto as autoridades alertaram para novos problemas que afetam a recuperação na segunda maior economia do mundo.

Enquanto os exportadores da China estão a ver uma forte demanda, gargalos na cadeia global de oferta e aumento dos custos de matérias-primas pesaram sobre a produção, enfraquecendo a recuperação económica das perdas do ano passado devido à Covid-19.

Dados da Agência Nacional de Estatísticas mostraram, na segunda feira, que a produção industrial cresceu 9,8% em abril sobre o ano anterior, em linha com as previsões, mas abaixo da subida de 14,1% de março.

As vendas no varejo, por sua vez, aumentaram 17,7%, bem abaixo da expectativa de crescimento de 24,9% e do ganho de 34,2%, em março.

O porta-voz da agência, Fu Linghui, disse que embora a economia da China tenha mostrado melhora constante em abril, novos problemas também estão a surgir, designadamente o aumento nos preços internacionais das commodities.

De acordo com relatório do banco central na semana passada, a inflação aos produtores na China atingiu o ritmo mais forte desde outubro de 2017, em abril, podendo aumentar ainda mais nos segundo e terceiro trimestres.

As taxas mais lentas de crescimento dos indicadores de atividade em abril também se devem, em parte, aos efeitos de base depois de quedas muito fortes, vistas quando o coronavírus fechou grande parte do país no início de 2020.

No setor industrial, o crescimento da produção de veículos enfraqueceu para 6,8% de 69,8%, devido, em parte, ao efeito base e também à escassez de semicondutores usados nos carros.

Segundo dados da agência, o crescimento das vendas de eletrodomésticos perdeu bastante força em abril, passando de um crescimento anual de 38,9% em março para 6,1%.

G1