ptzh-CNen

Indústria fotovoltaica da China registra rápida expansão no primeiro semestre.

A indústria fotovoltaica da China registrou uma rápida expansão no primeiro semestre deste ano, com o país se esforçando para atingir o pico das emissões de dióxido de carbono e alcançar a neutralidade do carbono, de acordo com o Ministério da Indústria e Informatização.

A China produziu 238 mil toneladas de polissilício entre janeiro e junho, um aumento de 16,1% em termos anuais, mostraram dados do ministério.

Em junho, o país produziu 42 mil toneladas de polissilício.

Nos primeiros seis meses, a produção total de pastilha de silício no país atingiu 105 GW, um aumento anual de 40%.

No mês passado, a China anunciou que acabaria com os subsídios para novas estações fotovoltaicas centralizadas, projetos fotovoltaicos distribuídos e projetos de eletricidade eólica onshore do orçamento do governo central em 2021, e que alcançaria a paridade de rede.

Entrando em vigor em 1º de agosto, as políticas visam promover o uso eficiente dos recursos e o desenvolvimento de alta qualidade de novas indústrias energéticas, como eletricidade fotovoltaica e eólica, segundo a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma

Xinhua