ptzh-CNen

Instalação de satélite inteligente começa a funcionar em Wuhan

A primeira fábrica de fabrico inteligente de satélites da China começou a funcionar formalmente em Wuhan, província de Hubei, com uma capacidade de produção anual de 240 satélites, disse o seu proprietário.

Segundo Lyu Dongming, presidente da CASIC Space Engineering Development, construtor e proprietário da fábrica, o primeiro satélite fabricado pelo complexo foi lançado da linha de montagem na manhã de quinta-feira, numa cerimónia de início da produção. A nave espacial, que ainda não foi nomeada, deverá ser lançada num futuro próximo para realizar operações de comunicação.

A instalação é capaz de produzir 240 pequenos satélites de múltiplos tipos, cada um pesando menos de 1 tonelada métrica, disse Lyu, acrescentando que a sua operação irá melhorar substancialmente a eficiência de fabrico da sua empresa e irá ajudar a poupar muito tempo e mão-de-obra.

A empresa de Lyu é uma subsidiária do gigante da defesa estatal China Aerospace Science and Industry Corp, com sede em Wuhan, e é encarregada pela empresa-mãe de desenvolver, fabricar e operar satélites.

A construção da fábrica começou em 2019 na Base Nacional da Indústria Espacial de Wuhan, no distrito de Xinzhou, o primeiro centro comercial da indústria espacial do país, e terminou em dezembro de 2020. A operação experimental começou logo após a construção.

Liu Feng, um dos gestores de projeto da fábrica, disse que a construção de um satélite envolve dezenas de passos, desde a instalação de componentes e montagem de satélites até testes eletrónicos e mecânicos, e o método de produção tradicional exige que todos eles sejam realizados manualmente.

“Em comparação, a nossa fábrica utiliza robôs para executar passos importantes, o que significa que podemos melhorar a eficiência média de fabrico de satélites em mais de 40%”, disse Liu.

A CASIC, especializada em mísseis e outras tecnologias de defesa, tem vindo a esforçar-se desde há vários anos para penetrar no mercado de satélites em expansão do país.

Em dezembro, o conglomerado com sede em Beijing, conduziu os primeiros testes de demonstração tecnológica da China utilizando um satélite de baixa orbitação para permitir comunicações 5G e serviços de Internet, na província de Zhejiang.

Quando a tecnologia 5G baseada no espaço se tornar comercialmente operacional, será possível às pessoas utilizarem serviços telefónicos e de Internet em qualquer parte do mundo, disseram os gestores de projeto.

China Daily