ptzh-CNen

A crescente indústria cultural de Xinjiang reforça a unidade étnica e a estabilidade

Autoridades revelaram, numa conferência realizada em Urumqi, capital de Xinjiang, na sexta-feira, que as instituições governamentais chinesas gastaram mais de 2 mil milhões de yuans (300 milhões de dólares) para apoiar a indústria cultural da Região Autónoma de Xinjiang, no Noroeste da China, desde 2014.

De acordo com o Departamento de Cultura e Turismo de Xinjiang, a Administração Nacional do Património Cultural da China (NCHA, na sigla inglesa) e outras províncias e cidades de apoio ajudaram Xinjiang a formar mais de 1.000 profissionais em proteção, restauração e gestão de relíquias culturais para museus em Xinjiang, ao longo dos últimos cinco anos.

As instituições culturais chinesas também ajudaram a criar mais de 100.000 empregos, bem como a aumentar as receitas locais em mais de 50 milhões de yuans, no total.

As estatísticas mostram que Xinjiang tem 9.542 relíquias culturais imóveis, que incluem seis sítios do património cultural mundial, bem como 133 sítios-chave de proteção de relíquias culturais a nível nacional e 620 sítios de proteção de relíquias culturais a nível regional. Três sítios arqueológicos foram selecionados para os 10 maiores descobrimentos arqueológicos da China de 2017 a 2019.  

Os 92 museus da região (incluindo dois museus de primeira classe a nível nacional) ostentam um total de 450.000 relíquias culturais. O número de museus de visita livre em Xinjiang também aumentou de 32 para 81, com o número de visitantes anuais a atingir 5 milhões.

Com o apoio do governo central, a construção da secção principal da segunda fase do Museu da Região Autónoma de Xinjiang foi concluída e será inaugurado a 1 de julho.

Li Qun, chefe da NCHA, afirmou na conferência que o rico e magnífico património cultural da região testemunhou a integração e desenvolvimento de vários grupos étnicos chineses e também demonstra a estreita ligação entre a cultura étnica de Xinjiang e a cultura da região das Planícies Centrais da China.

De acordo com o Departamento, é importante promover a unidade étnica e manter a unidade da pátria. A base cultural é de grande importância para herdar genes culturais chineses, forjando um sentido de comunidade dentro da nação chinesa e realizando o objetivo global de estabilidade social e estabilidade a longo prazo em Xinjiang.

Global Times