ptzh-CNen

China anuncia apoio à quebra de patentes das vacinas contra a Covid-19

O Ministério das Relações Exteriores chinês disse, na segunda feira, que a China apoia o apelo dos países em desenvolvimento pela renúncia aos direitos de propriedade intelectual sobre as vacinas contra a Covid-19.

O porta-voz do ministério, Zhao Lijian, fez a declaração durante uma entrevista coletiva.

Índia e África do Sul defenderam, no ano passado, na Organização Mundial do Comércio (OMC), a quebra da patente de vacinas como uma maneira de reforçar a produção e garantir que o mundo seja atendido.

O debate em torno do assunto ganhou força este mês, quando o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, apoiou a ideia, desde que esta passasse pela OMC.

O Brasil, que tradicionalmente apoiava a quebra de patentes para medicamentos (foi assim em relação a drogas contra o HIV, por exemplo), posicionou-se contra a suspensão no caso das vacinas anticovid, em linha com a postura adotada pelo governo dos EUA durante a gestão de Donald Trump.

Em abril, o ministro das Relações Exteriores, Carlos França, já havia dito não considerar a possibilidade de quebra de patentes como o caminho mais eficaz para acelerar a vacinação no país. Mais recentemente, ele afirmou que a posição se mantém, mesmo com a mudança do governo americano. Segundo o chanceler brasileiro, o maior gargalo hoje para o acesso a vacinas e insumos são os limites materiais da capacidade de produção e não os parâmetros relacionados à quebra de propriedade intelectual.

França acrescentou, porém, que o Brasil analisaria a nova posição americana e afirmou que, se for para atender aos interesses do país, o governo pode mudar de opinião.

G1